Ufam é destaque entre as universidades com menor índice de evasão discente

Universidade ocupa a 12ª posição em ranking elaborado pela plataforma Quero Bolsa, ferramenta voltada à inclusão de estudantes no ensino superior

 
Por Márcia Grana
Equipe Ascom Ufam
 
A Universidade Federal do Amazonas (Ufam) é uma das 25 universidades públicas com menor índice de abandono no Brasil. Ocupando a 12ª posição no ranking elaborado pela plataforma Quero Bolsa - uma ferramenta voltada à inclusão de estudantes no ensino superior - a Ufam registra 10,81% de índice de evasão discente, enquanto a média nacional é de 24,58%.

Entre as universidades que acompanham a Ufam na lista estão a Universidade Regional do Cariri (Urca), em Pernambuco, que foi a instituição que registrou o menor índice de abandono entre as universidades públicas do Brasil (4,47%) e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que registrou 13,20% de índice de evasão. Confira a lista completa na Revista Quero Bolsa online.

O reitor da Ufam, professor Sylvio Puga, comemora o bom desempenho da Universidade e afirma que o resultado se deve ao trabalho em equipe. “Esse bom desempenho reflete as iniciativas articuladas da nossa Universidade. Cada setor da Ufam contribui para esse resultado. Aproveito para parabenizar as demais 24 universidades que também foram reconhecidas, pois sou ciente de todo o esforço institucional que é necessário ser feito para atingir tais resultados”, afirmou o reitor.

O pró-reitor de Ensino de Graduação, professor David Lopes Neto, destaca os investimentos da Ufam na taxa de sucesso na graduação, com foco nos alunos concluintes periodizados. “Ações diretas como a oferta de bolsas, atualização de projetos pedagógicos de cursos, formação continuada de docentes, além de um diálogo constante com o segmento estudantil contribuem para alcançarmos resultados tão bem-sucedidos”, declarou o gestor.

A diretora do Departamento de Assistência Estudantil destaca a disponibilização dos auxílios estudantis como forte contribuição para esse resultado. “Em 2018 nós atendemos quase três mil estudantes com auxílios, entre eles o acadêmico, o moradia, residência universitária. Esse ano acrescentamos outros, como o auxílio-creche, além de dar continuidade ao auxílio emergencial e de inclusão digital. Então, eu penso que isso contribui para o índice positivo, pois esses auxílios têm o objetivo de garantir a permanência do discente na nossa universidade, para que ele possa concluir seu ensino superior no tempo regulamentar”, afirmou a gestora.

A plataforma Quero Bolsa utilizou a base de dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), referentes ao ano de 2017.